Folha de S Paulo – Dezembro 2011

A festa de virada organizado pelo aposentado Silvio Nogueira, 56, poderia ser considerada um sucesso, certa de 60 pessoas compareceram. O senão é que seu apartamento tem apenas 50m². Sem espaço, alguns convidados se espalharam pelas áreas comuns do condomínio. ‘A gente ficou até a madrugada festejando. Aí o vizinho de baixo, o de cima e o do lado reclamaram na portaria.’ O resultado foi uma multa para o dono do apartamento.

A tolerância com os excessos pode ser maior nas festas de fim de ano, mas, ainda assim o número de conflitos aumenta nessa época. Segundo levantamento do Grupo Light, de administração condominial, as queixas de barulho e ocupação indevida de vagas de garagem crescem 28% nesse período. O jeito é evitar atritos desnecessários entre condôminos, festeiros ou não, é marcar uma assembleia para combinar as regras para a última noite do ano.

Resoluções

A briga pelo salão de festas pode ser resolvida com um sorteio entre os interessados em usar o espaço, sugere Vânia Dal Maso, gerente da administradora Itambé. A orientação para que cada apartamento deixa uma lista de convidados na portaria ajuda a melhorar a segurança no prédio. Na reunião, o síndico também deve deixar claro o regulamento do condomínio e as restrições. A vaga do vizinho, mesmo que esteja viajando, só pode ser utilizada com autorização expressa do dono, por exemplo. Fogos de artifício também são proibidos. Se, após as orientações, houver abusos no dia, o advogado Waldir Arruda aconselha a falar com o vizinho e, só em último caso, acionar o condomínio ou a polícia. Assim o ano começa em paz.